sexta-feira, 1 de julho de 2016

Capítulo 6 | A muralha de fogo em Ynos










Capítulo 6  | A muralha de fogo em Ynos


Calabouço da Quimera #006


Leão: Como disse na ultima sessão, aqui esta a XP de vocês, 75 para cada por abater os lobos e como eu dormi bem uma semana inteira vou dar mais 50 de bônus pela interpretação na ultima sessão.

Dragão: Hum… Legal, mas pra que serve essa bagaça?

Bode: Deve ser comida.

Leão: "XP" é abreviação para pontos de experiência, que são necessários para seus personagens evoluírem e ficarem mais fortes.

Dragão: Ah ta, entendi, então vamos continuar! Quero subir de nível logo.

Leão: Ok. Após seguir aproximadamente uma hora de viagem por uma estrada estreita no meio do mato, vocês avistam faíscas e fumaça ganhando o céu azul.

Bode: Acho que nos aproximamos da vila, quero chegar antes de anoitecer lagartixa.

Dragão: Então vamos acelerar o passo, mas tenha cautela…

Leão: Ao chegar na aldeia vocês percebem que os tais humanoides são apenas goblins, mas realmente eles parecem ter um meio de controlar as chamas, elas formam uma parede dividindo a vila no meio. Não sobrou muito das cabanas afastadas do centro da vila, eles saquearam e queimaram as casas, existe apenas 3 construções ainda em pé, a da esquerda parece que era uma forja, julgando pela bigorna na entrada, a construção da direita claramente é uma estalagem e suas janelas e portas estão seladas com tabuas e moveis, e vocês vêem 3 goblins tentando forçar a porta inutilmente, a construção do meio é mais recuada e é feita de pedra, diferente do resto da aldeia, não passa de uma torre de vigia, mas provavelmente é usada como a prefeitura da vila.



Dragão: Goblins, que decepção… Mas já que estamos aqui, vamos cuidar deles, talvez eu descubra como eles controlam as chamas. Há somente esses três goblins na vila?

Bode: Eu ataco!

Leão: Enquanto o Dragão, tenta procurar por mais inimigos, você vê o patético gnomo correndo ao ataque, sendo que nem sabe como passar pelo muro de fogo ainda…

Bode: Eu não preciso passar pelo muro de fogo, só as minhas flechas. Isso deveria aumentar o dano delas.

Leão: Ok, você se apoia na ribanceira que te da visão para a vila abaixo e atira uma flecha na direção dos goblins. Role um d20.



Leão: Não creio... role o dano dessa desgraça.



Leão: Você estica no limite a corda de seu arco curto e com uma precisão inimaginável, a seta disparada atravessa a cabeça de um dos goblins, que cai no chão enquanto os outros 2 correm para dentro da torre de pedra em desespero.

Dragão: Precisamos descobrir como passar por essa parede de fogo, ou sera impossível alcançá-los.

Bode: Eu acho que podemos cavar um túnel.

Leão: A parede de fogo tem cerca de 15 metros de altura e ela aparece de uma ponta da floresta até a outra ponta

Dragão: Cavar um túnel vai ser muito demorado, precisamos de outra maneira…

Bode: Acho que podemos procurar água nas casas.

Dragão: A gente vê algum poço?

Leão: Sim, mas está do outro lado do muro.

Dragão: Droga, então o jeito é passar pelo fogo ou dar a volta, o que acha pequenino?

Bode: Acho loucura… Vamos atravessar essa bosta.

Dragão: Eu parto em disparada na direção da construção que parecia ser o ferreiro.

Bode: Eu corro atrás dele, quando chegarmos há 1 metro do fogo eu vou parar e ver o que acontece.

Leão: As chamas ficam mais intensas enquanto Kriv as atravessa e, mesmo sendo resistente as chamas, você ainda leva 6 de dano.

Dragão: Ai!!! Não pensei que fosse doer tanto assim, estou só com 4 de vida…

Bode: Eu grito para o personagem do Dragão: "vou dar a volta, não parece seguro".

Dragão: Filho de uma lagartixa.

Bode: Olha quem está falando…

Leão: Enquanto vocês conversam, cai uma flecha ao lado de Kriv.

Dragão: EU ESTOU CORRENDO EM DIREÇÃO AO FERREIRO!!!!

Bode: Vou dar a volta, tentando fazer no menor tempo possível.

Leão: Ao entrar no ferreiro você esbarra em um goblin que estava dormindo ali escondido dos outros.

Dragão: Instintivamente eu desço minha Morning Star na cabeça dele!




Leão: Você acerta violentamente seu Morning Star no peito do goblin, o deixando sem ar, mas ainda consciente. Ele levanta se armando com sua cimitarra. Role a iniciativa!



Dragão: Sou eu primeiro?

Leão: Não, o goblin rapidamente desliza sua lamina no seu pescoço fazendo 6 de dano, pelas minha contas você está no chão! Hahaha.

Dragão: EU MORRI?!?!?

Leão: Não. Calma, não funciona assim, você está inconsciente, terá de fazer testes de resistência contra a morte para não passar dessa pra melhor.

Dragão: Ufa…

Bode: E eu? Já cheguei?!?

Leão: Você Ku, da a volta no muro usando uma arvore de passarela, você chega a tempo de ver que o goblin esta pronto para finalizar seu companheiro.

Bode: EU ATACO!



Leão: Você atira uma flecha desesperada na direção do goblin, mas acerta a placa da entrada que diz "Ferreiro Rocher" enquanto o goblin perfura o peito de Kriv que já está no chão, Dragão se você falhar no teste contra a morte, ira morrer automaticamente já que este ataque já lhe causou 2 falhas, role o d20 e boa sorte.

Dragão: Que Tiamat me ajude…



Leão: Ufa! De 10 para cima é um sucesso, com mais 3 sucessos você se estabiliza e não morre, mas se chegar em 3 falhas você voltará para a criação de fichas.

Dragão: Quê não vai dar o que?! Saí da taverna e bebi pra caralho!!! AQUI É DRAGONBORN PORRA!!

Bode: Sou eu? Já posso atacar?

Leâo: Role a iniciativa.



Leão: Você é mais ágil do que o goblin, o que pretende fazer?

Bode: Eu vou correr para cima do goblin, atacar ele com as minhas espadas!

Leão: Com as duas espadas curtas você pode realizar um ataque com seu braço principal usando sua ação e com a ação bônus você ataca com a mão inábil, não acrescentando bônus de atributo no dano da segunda arma, apenas o dado dela.

Bode: Excelente!




Bode: E o dano é..



Leão: Você corre pra cima do goblin, desferindo dois ataques sendo que somente um chegou no alvo, mas foi o suficiente para acabar com a vida do moribundo.

Bode: Eu posso ajudar o Dragão de alguma forma?

Leão: Sim, você pode rolar um teste de "Medicina" e tentar estabilizar ele.

Bode: E eu posso adicionar o bônus que eu tenho na skill medicina nesse teste, certo?

Leão: Isso mesmo!



Bode: Consegui?

Leão: Você consegue estancar o sangramento, mas ele precisa descansar ao menos 1 hora para poder acordar. Mas por hoje vai ser só isso, tomem aqui 50 XP pelos goblins abatidos e apenas 20 XP de bônus... É mais do que vocês merecem.

Bode: Mas eu que abati os goblins, não mereço mais XP?

Dragão: Eu tambem recebo, né?

Leão: A XP é divida igualmente entre vocês, é bom não reclamarem ou eu nem darei o bônus, que é um agrado de minha parte.




Nas profundezas da Fortaleza Nerd, escondida dos olhos das pessoas uma criatura está aprisionada em seu próprio calabouço. Conhecida como Quimera, um ser atroz com 3 cabeças - Leão, Bode e Dragão - mas esses três animais tão diferentes possuem algo em comum, eles amam RPG



Colunistas da Calabouço da Quimera...


 Leão: Henrique Brito, 21 anos, dos calabouços de mogi a terra do caqui, multclass em nerdisse e tenho desvantagem nos testes para arrumar emprego.
 Bode: Mateus Grangeiro, 21 anos, paulistano, bardo com 20 de carisma, conhecido por ser mais tóxico do que o tietê.

Dragão: Caio Augusto, 19 anos, é das longínquas terras do Grajaú, um nerd e viciado em games, é também conhecido por ser o mestre dos powerplayers.

Nenhum comentário:

Postar um comentário